Um espaço pensado para compartilhar conhecimento e assuntos relacionados ao universo têxtil, moda, tendências, tecnologias, novidades e tudo o que envolve o dia a dia de quem produz confeccionados. Informações de mercado, publicações segmentadas, entrevistas e insights que podem ajudar a sua empresa a melhorar ainda mais os seus resultados.

Adriana Zucco da Colcci

Trabalhando na marca desde 1988, dois anos depois de sua fundação, Adriana Zucco começou a desenhar para a Colcci quase que acidentalmente, apaixonada pelas revistas de moda internacionais. Hoje ela é Coordenadora de Estilo de uma das marcas mais consolidadas e desejadas do mercado brasileiro e conversou conosco sobre estilo, mercado e sobre a importância da tecnologia dos equipamentos têxteis.

1) Você acompanhou o crescimento da Colcci desde os primeiros anos da marca. Como você percebe a relação entre a consolidação da empresa e a evolução do mercado brasileiro?
Uma característica forte da marca Colcci é se renovar. A ousadia está radicada na alma da marca, com personalidade e certa rebeldia a Colcci conquista consumidores contemporâneos que buscam uma imagem jovem e despretensiosa. A consolidação da marca acontece com grandes investimentos do grupo, que alimentam o prestígio da marca. Com um marketing robusto, estampas autorais artísticas, tecidos importados e um denim que conta com muita tecnologia. A evolução de um mercado mais exigente sempre online cada vez mais informado.

2) A Colcci é famosa por oferecer peças de apelo comercial com informação de moda. Como se encontra esse equilíbrio?
O mood da marca Colcci é super jovem, temos uma coleção democrática. Além de produtos vanguarda apostamos em básicos com informação de moda, com um mix construído com caráter internacional, mas sem esquecer das nossas raízes.

3) O que mudou nas pesquisas de tendências com o surgimento dos influenciadores digitais? Quais são as expectativas da marca com coleções assinadas como a recente parceria com a atriz Marina Ruy Barbosa?
O mundo digital trouxe velocidade de informação. As influenciadoras conquistaram seu espaço no Brasil e no mundo, elas acabam sendo uma referência relevante para o público jovem. Marina além de uma celebridade brasileira é uma influencer digital, tem uma relação verdadeira com a moda está sempre presente em desfies de marcas internacionais consagradas como: Prada, Miu Miu e Dolce & Gabanna. A coleção de Marina Ruy Barbosa é feita de uma parceria forte com a Colcci, a coleção carrega a essência da Marina, ela participa de todo o desenvolvimento, desenvolvendo cartela de cores, opções tecidos e shapes.

4) Como acontece a adaptação dos produtos ao mercado brasileiro? Qual é o perfil da mulher brasileira que consome Colcci?
A contemporaneidade da Colcci abraça sua consumidora e se inspira nela. As referências que influenciam a moda brasileira são inseridas com muita coerência, explorando o que acreditamos ser melhor para a marca. O perfil de mulher que consome Colcci é uma consumidora jovem cheia de atitude e personalidade.

5) O jeans continua sendo o carro chefe da marca? O que mudou no segmento com a explosão do fitness?
Sim o jeans continua sendo a estrela da marca, somos especialistas em denim. A Colcci respeita as características da mulher brasileira no desenvolvimento das modelagens, somado a uma grande dose vanguarda. Tecidos com características de super conforto com power extremo, mais flexibilidade e elasticidade que modelam o corpo. A tecnologia do denim é revolucionária, acompanha o lifestyle da consumidora da marca que busca um corpo torneado e equilíbrio para os dias de hoje. A necessidade de mobilidade no denim tem como opção o segmento esportivo.

6) A instabilidade da economia brasileira pode ser um desafio. Como isso influencia o departamento de estilo?
A moda é influenciada por comportamento, música, cinema, arte, política, culturas em geral e pela economia também. A criação é movida por desejo e a estratégia da Colcci está em ser arrojada, não ter medo para se diferenciar do mercado. O grupo AMC é sólido e traz segurança para tempos de muita instabilidade. Acho que uma administração equilibrada traz saúde para a marca passar os momentos instáveis da economia brasileira.

7) Como você vê o mercado da moda brasileira nos próximos anos?
O mercado está cada vez mais exigente e enteder a evolução das novas consumidoras é fundamental. As marcas precisam acompanhar essa velocidade que afeta a moda e o lifestyle mundial. Novas maneiras de pensar e consumir, sustentabilidade, os propósitos precisam ser mais definidos, são exigências de um futuro que não tem mais volta.

8) Qualidade é um fator determinante para conquistar consumidores e o uso de equipamentos adequados é fundamental para atender as expectativas dos clientes e manter a competitividade. Como o conhecimento sobre os equipamentos disponíveis no mercado pode fazer a diferença na hora de desenvolver uma coleção?
A tecnologia dos maquinários é essencial para um produto de moda de alta qualidade. Equipamentos tecnológicos são recursos que conseguem trazer para os dias de hoje características artesanais rústicas, que traduzem aconchego e sentimentos. É impressionante e determinante o maquinário que a Silmaq traz para o mercado de moda.

9) O que não pode faltar em uma boa coleção?
A Coleção precisa ser original para a marca ser reconhecida, ser autoral é fundamental para criar desejo. A moda só é interessante quando causa curiosidade, o que não pode faltar na coleção é inovação.

10) Você tem alguma aposta para o best seller da temporada 2019/20?
Minha aposta está no jeans, coroado nas coleções da Colcci, é o tecido mais democrático do mundo traz atitude cool para uma imagem de moda urbana.

Compartilhar:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *